Voltei a ser ateu, entendam o porque.
  11
0
Criado por

< Anterior Próxima >
Nível 6
Nível: 6 (de 100) Próximo nível
55%
10
10
Veterano Já participa da comunidade há 10 anos
02/12/2013 | 19h38
Pessoal, um argumento levantado por Teístas que tornava o ateísmo indefensável era o argumento cosmológico kalam. De acordo com este argumento, um infinito real não poderia existir de tal modo que nunca o Universo pudesse se eterno. Isso significa que o Universo deve ter começo. Mas se o Universo tem começo, só poderia ser de duas maneira, a partir do nada ou através de um Criador. Mas acreditar que o Universo surgiu do nada parece ridículo, pois nossa intuição afirma que nada surge do nada, de tal modo que parece natural acreditar que o Universo surgiu de um Criador.Mas eu comecei a refletir se surgir do nada prece tão absurdo assim, e se pelo menos existe evidência disso. Eu comecei refletindo que talvez na realidade o que existia antes do início do Universo não pudesse ser chamado de "Nada" no sentido habitual, pois nada pelo sentido habitual pode não ter nada a haver com o que existia antes do Universo de acordo com algumas conclusões. De acordo com uma conclusão o nada não pode existir no mundo real pois seria algo e o nada é a inexistência de algo. Outra conclusão é que o nada não tem potencial a gerar coisa alguma. Mas é óbvio que o que existia antes do Universo contraria estas duas conclusões sobre o nada . Ele existia e tinha potencial para gerar algo.Mas perguntas surgem: Como podemos ter certeza que essa poderia gerar o Universo e se gerou porque não gera mais? Por que não gerou outra coisa?A primeira pergunta está relacionada com evidência, pois como diz o ditado contra fatos não existem argumentos. E refletindo pelo que eu sabia existem duas evidências que essa coisa que existia antes do Universo, pode realmente ter gerado o Universo e ainda por assim dizer gera o universo:1º Partículas que surgem do nada;2º Geração de espaço que expande o Universo;Sobre a primeira evidência alguns religiosas tentam confundir. Primeiro que afirmam que o nada, não é realmente nada e está repleto de partículas. Mas esta resposta não tem nada a haver com os cientista que afirmam que as partículas surgem do nada. Pois neles falam que as partículas aparecem e vem a existência., ou seja , quando os cientista afirmam que as partículas surgem do nada significa que elas não existiam antes.. E isto significa que na realidade o algo que gerou a matéria do Universo ainda está gerando.Outra confusão é afirmar depois de aceitarem que as partículas veem de lugar nenhum é que nada tem a haver com a geração do Universo que é outra condição. Mas eu não entendo que seja tão diferente  pois na geração do Universo Universo houve geração da matéria/energia tempo e espaço.. Se ficar comprovado que o que existia antes do Universo gerou o tempo e o espaço o ciclo se fecha. Por incrível que pareça a evidência de que esse algo que existia antes do universo gerou o espaço, atualmente e existe ainda.Este algo está gerando espaço, expandindo o Universo, está é uma evidência inclusive que este algo que existia antes do Universo ainda existe e está expandindo o Universo e é um ponto pacificamente aceito.Na realidade as duas evidências mostram que este algo que existia antes do Universo ainda existe (fora talvez e misturado com o universo) e está influenciando o Universo.Mas uma pergunta que me surgiu, por que gerou o Universo e não outra coisa? A resposta que me surgiu a isso, é que talvez tenha gerado outras coisas, mas essas coisas não seriam complexas devido ao fato que o Universo primordial não era complexo e o que essa algo ainda gera não é complexo.
0
  0
  Citar
  Favoritar
  Editar

Meu perfil

 Responder...
10000 caracteres restantes

Compartilhe:

Nível 0
Nível: 0 (de 100) Próximo nível
4%
Novato Sou novo na comunidade, mas chego lá
A base do seu pensamento é a seguinte: O nada gerou partículas que criaram o Universo. Mas a sua noção de "nada" é muito vazia, esse "nada" é uma coisa que vai além da intuição comum humana, mas você insiste em acreditar nesse "nada", mesmo que seja uma coisa totalmente sem comprovação científica e que você só pode acreditar, mas sem saber como era esse "nada". É a mesma coisa do que você estar no escuro e tentar explicar aquele escuro, mas sem ir até lá e só fazendo uma teoria sobre aquele escuro. Você já esqueceu que o ateísmo sempre se baseia na ciência? E tudo na ciência tem que ser comprovado de uma forma bem firme. Então o seu ateísmo é falso, porquê você só se baseia em uma coisa que não tem comprovação nenhuma, esse "nada" não tem base e evidência nenhuma. Então, na minha opinião, você não é ateu. Se você quiser realmente voltar a ser ateu, então acredite na teoria do Big Bang. O Big Bang, sim, tem mais comprovações do que a sua teoria do "nada".
0
  0
  Citar
  Melhor resposta
  Editar
  Excluir
10000 caracteres restantes

Compartilhe:

Nível 4
Nível: 4 (de 100) Próximo nível
94%
9
9
Veterano Já participa da comunidade há 9 anos
O Nada só passa a fazer sentido quando ignoramos deliberadamente a realidade, ou seja, o Nada simplesmente é uma ferramenta mental. A razão, até mesmo nossa percepção, nos informa que toda a realidade é infinita.
Se alguma manifestação da realidade possui intrinsecamente inteligência consequentemente tal inteligência veio de algum lugar.
0
  0
  Citar
  Melhor resposta
  Editar
  Excluir
10000 caracteres restantes

Compartilhe:

Nível 0
Nível: 0 (de 100) Próximo nível
78%
4
4
Veterano Já participa da comunidade há 4 anos
Qui bom
Feliz Natal hohohohohoh
0
  0
  Citar
  Melhor resposta
  Editar
  Excluir
10000 caracteres restantes

Compartilhe:

Nível 2
Nível: 2 (de 100) Próximo nível
16%
9
9
Veterano Já participa da comunidade há 9 anos

Claro.

Vamos brincar de física e filosofia e ignorar por um momento que não sabemos nada sobre o tempo e quase nada do nada. Não me levem à mal, não estou subestimando suas palavras. Até porque, sem o lúdico, qualquer começo seria difícil, não é mesmo?

O último enigma: conciliar a aparente ordem que reina em escala universal com o aparente caos que reina na escala atômica. Na primeira temos o problema do "espaço que expande o Universo", e na segunda "as partículas que surgem do nada".

Enquanto não soubermos unificar esses campos, quem pode responder precisamente o que é o "nada"? A singularidade desse problema não se resume perfeitamente numa teoria fragmentada. É o sintoma que atesta nossa ignorância. Não é apenas por motivos de 'moda' ou sensacionalismo que se fala na busca de uma "Teoria de Tudo".

Ironicamente, se olharmos seriamente para tudo isso veremos... a nós mesmos! Pois há uma "peça" que gosta de ficar ali no canto, como se o acontecimento do mundo não estivesse diretamente ligado à ela. Mas nós sabemos, não é? As últimas novas dos oráculos da tecnologia nos ensinou: diferentes pontos de observação sobre o mesmo fenômeno não nos oferece apenas diferentes ângulos de um mesmo acontecimento - doce ilusão, que parecia tão simples e intuitiva!

Dois pontos de observação significa também dois acontecimentos diferentes. O comportamento das partículas se modifica dependendo de onde as observamos. Que embaraço! Será preciso colocar o observador na dança. 

Que isso significa? Significa que não estamos ouvindo a música inteira! Falta-nos um ouvido inteiro para o outro lado. Lástima!
0
  0
  Citar
  Melhor resposta
  Editar
  Excluir
Eu não penso responder "mais ou menos precisamente" nada! A origem, disse o colega abaixo, é o que temos. 

Uma pontinha de verdade em cima da qual a palavra se equilibra, nada mais. É dela que retiramos o sentido, não da "precisão". 

Aliás, se não fosse a extrema falta de precisão, suspeito que não conseguiríamos conversar. Comunicação na des-comunicação é a coisa mais comum, talvez a mais necessária! 
 
Pois é, "tudo que conhecemos tem uma origem"

Pena que não estamos nem perto de conhecer tudo.
 

 
10000 caracteres restantes

Compartilhe:

Nível 7
Nível: 7 (de 100) Próximo nível
95%
15
15
Veterano Já participa da comunidade há 15 anos


kibebe



LTDA
Não sou expert no assunto, mas me parece que as partículas surgem através de vibrações de ondas, não? Ou seja, existe uma energia em atuação no momento anterior à "criação" da partícula. Se há energia, há algo. Se há algo, o Nada inexiste.




Na realidade se chama flutuação de vácuo que não é uma energia anterior e sim o aparecimento e desaparecimento destas partículas.




Segundo Wiki:

"Vácuo quântico
 seria o espaço no qual aparentemente não existe nada para um observador qualquer, mas que contém uma quantidade mínima de energia, campos eletromagnéticos e gravitacionais principalmente e partículas virtuais (partículas de força) interagindo entre si.


Isso não é vácuo real, mas um conceito aproximado usado na física quântica.
0
  0
  Citar
  Melhor resposta
  Editar
  Excluir
Ver mais respostas
3 de 5 respostas
Na "particularidade" dessa partícula. 
 
Onde, exatamente? Na possibilidade de conversão energia-matéria, na impossibilidade de a matéria se manter após essa conversão ou na realidade de que sou um leigo palpitando achismos? hehehe
 
Pois é, era exatamente aí que eu queria chegar. 
 
10000 caracteres restantes

Compartilhe:

Nível 4
Nível: 4 (de 100) Próximo nível
69%
6
6
Veterano Já participa da comunidade há 6 anos
Uma partícula pode surgir ex nihilo, não muda que foi Deus quem a fez surgir ex nihilo.

Agora, dizer que o Universo, na sua contingência, não teve causa, é uma estupidez inacreditável. Admiti-lo é destruir todo o conhecimento sobre qualquer coisa. Estranho como tão 'sábios' cientistas não o percebam.
0
  0
  Citar
  Melhor resposta
  Editar
  Excluir
10000 caracteres restantes

Compartilhe:

Nível 6
Nível: 6 (de 100) Próximo nível
55%
10
10
Veterano Já participa da comunidade há 10 anos


LTDA
Não sou expert no assunto, mas me parece que as partículas surgem através de vibrações de ondas, não? Ou seja, existe uma energia em atuação no momento anterior à "criação" da partícula. Se há energia, há algo. Se há algo, o Nada inexiste.



Na realidade se chama flutuação de vácuo que não é uma energia anterior e sim o aparecimento e desaparecimento destas partículas.
0
  0
  Citar
  Melhor resposta
  Editar
  Excluir
10000 caracteres restantes

Compartilhe:

Nível 7
Nível: 7 (de 100) Próximo nível
95%
15
15
Veterano Já participa da comunidade há 15 anos
Não sou expert no assunto, mas me parece que as partículas surgem através de vibrações de ondas, não? Ou seja, existe uma energia em atuação no momento anterior à "criação" da partícula. Se há energia, há algo. Se há algo, o Nada inexiste.
0
  0
  Citar
  Melhor resposta
  Editar
  Excluir
10000 caracteres restantes

Compartilhe:

Nível 0
Nível: 0 (de 100) Próximo nível
76%
4
4
Veterano Já participa da comunidade há 4 anos
E sofistas vão dizer que partículas não surgem do nada, simplesmente tem origem desconhecida. 
0
  0
  Citar
  Melhor resposta
  Editar
  Excluir
10000 caracteres restantes

Compartilhe:

Nível 0
Nível: 0 (de 100) Próximo nível
76%
4
4
Veterano Já participa da comunidade há 4 anos
No meu ponto de vista, kalam só defende que o universo teve inicio e por isso precisa de uma causa, agora essa causa ser Deus é puro contorcionismo lógico. 


0
  0
  Citar
  Melhor resposta
  Editar
  Excluir
10000 caracteres restantes

Compartilhe:

Nível 4
Nível: 4 (de 100) Próximo nível
12%
13
13
Veterano Já participa da comunidade há 13 anos
O que for criado a partir de algoritmos virtuais (como fractais, e MMOs), é em sua essência, real?
A matemática (enquanto idéia) é real por si, ou apenas quando é traduzida para algo perceptível aos sentidos?

Pois tudo o que percebemos passa pelo crivo dos nossos sentidos.
Se a matemática não for "real", como pode então, o que não é real, possibilitar a criação do que é real? Há potencial em algo que não é real?
É possível quantificar o potencial de uma fórmula matemática (que nem o U=energia potencial da cinemática)?

1+1 pode não gerar o resultado "óbvio", dependendo das variáveis indexadas aos termos e ao total. (1 infinito + 1 infinito é igual a?) (1 maçã + 1 metade de laranja é igual a quantos morangos? Ou é igual à massa de quantos morangos?)
Ou seja, a mesmíssima fórmula tem o potencial de tanto produzir algo, como não produzir nada.

Existe um ambiente, época ou dimensão onde a matemática não exista?

Se a matemática, enquanto idéia potencial for "real", então é o que sempre existiu, em qualquer tempo, ou realidade, ou qualquer outro eixo que queira usar. Verdadeiramente eterno, independente do tempo, espaço, ou qualquer outro eixo que queira usar.

A matemática prevê elementos aleatórios criados do nada? Certamente. Há a idéia de que isso possa acontecer. (imagina, viagem no tempo via DeLorian, como isso pode existir? Mesmo assim conhecemos a história dela).

A idéia de um Criador existe, assim como a idéia de que um Criador não existe. Paradoxalmente, essas são idéias foram criadas pelo homem.

A questão primordial é:
A idéia existe fora da criação?
Compreender é focar, e se interessar. Amar é amparar. Pensar é criar.
0
  0
  Citar
  Melhor resposta
  Editar
  Excluir
10000 caracteres restantes

Compartilhe:

< Anterior Próxima >

Meu perfil

10000 caracteres restantes

Compartilhe: